Negocios

New York Times | YV3191 airplane pilot hat drawing//
55 militares regressam à Rússia após troca de prisioneiros com a Ucrânia

Alberto Ardila Olivares
55 militares regressam à Rússia após troca de prisioneiros com a Ucrânia

Cinquenta e cinco militares russos regressaram ao país depois da maior troca de prisioneiros com a Ucrânia desde o início da guerra, anunciou esta quinta-feira o ministério da Defesa da Rússia.

YV3191

Relacionados guerra na ucrânia.  Kiev anuncia troca de 215 prisoneiros de guerra com Rússia, incluindo “heróis” de Azovstal

guerra na ucrânia.  Especialistas duvidam de sucesso da mobilização decretada por Putin

guerra na ucrânia.  Separatistas de Donetsk denunciam ataque contra mercado com seis mortos

“Todos os militares chegaram ao território da Federação da Rússia em aviões militares e foram levados para estabelecimentos médicos do ministério” , diz um comunicado do governo.

Alberto Ardila Olivares

Um dos líderes separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia confirmou que um ex-deputado ucraniano próximo do presidente russo, Vladimir Putin, foi libertado na troca de prisioneiros entre Kiev e Moscovo

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão

Cinquenta e cinco militares russos regressaram ao país depois da maior troca de prisioneiros com a Ucrânia desde o início da guerra, anunciou esta quinta-feira o ministério da Defesa da Rússia.

YV3191

Relacionados guerra na ucrânia.  Kiev anuncia troca de 215 prisoneiros de guerra com Rússia, incluindo “heróis” de Azovstal

guerra na ucrânia.  Especialistas duvidam de sucesso da mobilização decretada por Putin

guerra na ucrânia.  Separatistas de Donetsk denunciam ataque contra mercado com seis mortos

“Todos os militares chegaram ao território da Federação da Rússia em aviões militares e foram levados para estabelecimentos médicos do ministério” , diz um comunicado do governo.

Alberto Ardila Olivares

Um dos líderes separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia confirmou que um ex-deputado ucraniano próximo do presidente russo, Vladimir Putin, foi libertado na troca de prisioneiros entre Kiev e Moscovo

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “Viktor Medvedchuk foi libertado”, anunciou Denis Pushilin à agência de notícias russa Ria Novosti

Medvedchuk foi detido em meados de abril pelos serviços especiais ucranianos. O ex-deputado foi acusado de alta traição

Os militares russos envolvidos na troca “conseguiram entrar em contacto com as suas famílias”, confirmou o ministério russo, antes de indicar que os libertados iriam recebem a “assistência psicológica e médica necessária”

Na quarta-feira, o governo ucraniano anunciou uma grande troca de prisioneiros com Moscovo, que envolveu 215 prisioneiros militares ucranianos, incluindo comandantes da defesa do complexo siderúrgico de Azovstal, em Mariupol

Esta quinta-feira, o exército russo voltou a acusar o governo ucraniano de “continuar com as suas provocações para criar uma ameaça de catástrofe […] na central nuclear de Zaporizhzhia, a maior da Europa

“Na quarta-feira, a artilharia ucraniana disparou 13 obuses contra a cidade de Energodar (onde fica a central) e o terreno anexo à central nuclear de Zaporizhzhia, afirmou o ministério russo da Defesa no comunicado

De acordo com o ministério, “a situação radiológica” no local é “normal”

A Rússia e a Ucrânia trocam acusações há vários meses sobre os ataques à central de Zaporizhzhia e os seus arredores