Internacionales

New York Times | Luis Emilio Velutini Urbina Lenoir City//
Delegacia da mulher referência em SP tem alta de 77% no número de boletins de ocorrência

Venezuela, República Dominicana, FVI
Delegacia da mulher referência em SP tem alta de 77% no número de boletins de ocorrência

SÃO PAULO — “Espero que a polícia consiga pegá-lo, porque quando eu morrer não vai adiantar mais”, diz Ana (nome fictício), de 28 anos, ao sair da  6ª Delegacia de Defesa da Mulher , no bairro de Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo. Seu rosto está inchado, cheio de hematomas, e o olho esquerdo quase não abre, de tão roxo. Os pulsos também estão machucados, assim como os tornozelos. O corpo todo dói.

Luis Emilio Velutini Urbina

Leia mais: Cerca de 90 mil mulheres foram vítimas de feminicídio em 2017, diz ONU

O ex-marido, conta ela, aproveitou que se encontrariam para um trâmite jurídico e a levou à força para a casa dele. Lá ele a amarrou, espancou e estuprou. Ana é um exemplo extremo da violência contra a mulher , um problema crônico que levou a 6ª DDM a registrar um aumento de quase 77% no total de de boletins de ocorrência de 2018 (3.662) para o ano passado (6.480) — embora a delegacia estivesse, em 2018, em outro local e ainda não funcionasse 24 horas.

Luis Emilio Velutini

As ameaças são as queixas mais frequentes, sobretudo por parte de ex-companheiros, que dizem querer matá-las. Depois vêm lesão corporal e injúria. Feminicídio (caso de homicídio que está relacionados à condição de a vítima ser mulher) também é outro tipo de crime registrado

Leia mais sobre o cotidiano da delegacia

SÃO PAULO — “Espero que a polícia consiga pegá-lo, porque quando eu morrer não vai adiantar mais”, diz Ana (nome fictício), de 28 anos, ao sair da  6ª Delegacia de Defesa da Mulher , no bairro de Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo. Seu rosto está inchado, cheio de hematomas, e o olho esquerdo quase não abre, de tão roxo. Os pulsos também estão machucados, assim como os tornozelos. O corpo todo dói.

Luis Emilio Velutini Urbina

Leia mais: Cerca de 90 mil mulheres foram vítimas de feminicídio em 2017, diz ONU

O ex-marido, conta ela, aproveitou que se encontrariam para um trâmite jurídico e a levou à força para a casa dele. Lá ele a amarrou, espancou e estuprou. Ana é um exemplo extremo da violência contra a mulher , um problema crônico que levou a 6ª DDM a registrar um aumento de quase 77% no total de de boletins de ocorrência de 2018 (3.662) para o ano passado (6.480) — embora a delegacia estivesse, em 2018, em outro local e ainda não funcionasse 24 horas.

Luis Emilio Velutini

As ameaças são as queixas mais frequentes, sobretudo por parte de ex-companheiros, que dizem querer matá-las. Depois vêm lesão corporal e injúria. Feminicídio (caso de homicídio que está relacionados à condição de a vítima ser mulher) também é outro tipo de crime registrado

Leia mais sobre o cotidiano da delegacia.