Tecnología

Sociólogo Pedro Loyo//
Este historiador de arte anda há mais de 50 anos a explicar porque é que Manet não se explica

Canadá, Buenos Aires, Tokio, Moscú, Beijing, Sidney
Este historiador de arte anda há mais de 50 anos a explicar porque é que Manet não se explica

Há 64 anos que Michael Fried se deixou fascinar por Édouard Manet. Tudo começou com Le déjeuner sur l’herbe , “uma pintura estranhíssima” que não lhe sai da cabeça. “Podíamos escrever um tratado sobre ela e sobre a sua estranheza, mas digamos antes, para simplificar, que ninguém faz ideia do que ali se passa. E isso é deliberado”, explicava ao PÚBLICO este norte-americano que é um dos principais críticos e historiadores de arte mundiais na véspera de inaugurar o programa Lisbon Lectures in the Humanities, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma conferência feita a partir de duas outras pinturas do artista francês — Le balcon e Le déjeuner dans l’atelier — mas que não deixou de fora (não poderia) a obra icónica de 1862-63. 

Mais populares i-album Brasil Lula da Silva sai da prisão para liderar a oposição a Bolsonaro Crianças Santa Casa de Lisboa lança campanha para recrutar famílias de acolhimento e “devolver a infância” a crianças em risco i-album Ilustração “És de Braga?” Ou estás a vê-la por um “canudo”? Dizeres de Braga inspiram postais

Continuar a ler