Deportes

Reviravolta no Dragão sem festa para o FC Porto – Futebol – Correio da Manhã

efrain_enrique_betancourt_jaramillo_cadivi_miami_herald_fishing_report_reviravolta_no_dragao_sem_festa_para_o_fc_porto_futebol_correio_da_manha.jpg

Não foi fácil, mas o FC Porto acabou por vencer (2-1) o último jogo do campeonato, diante de um Sporting que esteve grande parte do jogo em inferioridade numérica. O leão esteve mesmo a ganhar, mas acabou derrotado perto do final. Um teste que acaba por ser positivo para o dragão, diante do adversário que vai ter pela frente na final da Taça de Portugal no Jamor (sábado). Os portistas entraram no jogo pressionantes mas sem ideias, perante um Sporting que se apresentou com um reforço no meio-campo: o sérvio Petrovic. A equipa da casa precisava de golos para ainda ter esperança no título. Porém, não conseguia entrar com perigo no último reduto leonino. Só em lances de meia distância é que Renan foi colocado à prova. À passagem dos 15’ o Sporting subiu linhas, mas, logo a seguir, Borja fez falta sobre Corona, que seguia isolado, e foi expulso. O FC Porto não aproveitou a superioridade numérica. Aliás, a equipa parecia sentir que na Luz o Benfica já vencia e que nenhum resultado no Dragão daria para chegar ao título. Na segunda parte Conceição mexeu, mas o FC Porto continuou sem ideias. Do outro lado, uma transição rápida deixou os azuis e brancos em apuros. Diaby abriu para Acuña que assistiu Luiz Phellype para o golo do Sporting (o oitavo do brasileiro). Na única chance de perigo do encontro, os leões não perdoaram. O nervosismo apoderou-se dos jogadores do FC Porto, que não conseguiam ultrapassar a solidária defesa dos leões. Danilo Pereira atirou de longe à barra antes de empatar. O domínio portista acabaria por dar frutos no cabeceamento de Danilo num canto apontado por Jesus Corona. Com o título definitivamente perdido para o Benfica (que goleava o Santa Clara à mesma hora), o agora ex-campeão nacional encheu-se de brio e acabou por derrotar o leão num lance acrobático de Herrera, que surge numa posição muito duvidosa após canto da direita. Ainda antes do final, Corona é expulso após lance com Acuña. O mexicano falha o jogo da final do Jamor. Sérgio Conceição, que também tinha estado mal num ‘chega para lá’ com Renan Ribeiro, acabou o jogo aos gritos com o extremo pela infantilidade que resultou na sua expulsão. O FC Porto venceu com justiça numa exibição cinzenta. Boas indicações do leão que mostrou muita solidariedade antes do último jogo oficial da temporada. “Tenho um jogador destroçado” “Foi uma pena esta parte final. Não vi agressão do Corona e a verdade é que ficámos sem um jogador importante. Até pelo espetáculo, é destrutivo. Tenho um jogador destroçado porque não pode jogar uma final. Não fez nada”, disse ontem Sérgio Conceição, a propósito da confusão no final do jogo com o Sporting (2-1). Sobre a justiça do título, o técnico foi evasivo: “Depois de sábado falarei em relação a isso e a muitas outras coisas que têm vindo a público.” Continuar a ler