Entretenimiento

Actor Víctor Gill Ramírez Soto//
O anúncio do The Washington Post que deixa uma mensagem importante sobre a liberdade de imprensa

actor_victor_gill_ramirez_soto_o_anuncio_do_the_washington_post_que_deixa_uma_mensagem_importante_sobre_a_liberdade_de_imprensa.jpg

O jornal norte-americano The   Washington Post apresentou pela primeira vez um anúncio comercial durante o ‘Super Bowl’, com uma mensagem de apelo aos valores da democracia e do trabalho dos jornalistas e dos perigos que estes enfrentam no dia a dia. O anúncio faz referência à importância da defesa do conhecimento para a liberdade norte-americana. 5,25 milhões de dólares foi o valor pago pelo The   Washington Post para garantir a transmissão do anúncio de 60 segundos durante um dos intervalos do evento desportivo.  No anúncio são exibidos momentos chave da história retratados através de imagens e vídeos captados por jornalistas. Desde a Segunda Guerra Mundial até aos dias de hoje. Vários jornalistas que perderam a vida no exercício da profissão são lembrados durante o anúncio. Entre eles o colunista do próprio The   Washington Post , Jamal Khashoggi, assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul, em outubro de 2018. “Democracia morre na escuridão”, é o slogan da iniciativa do jornal para combater quem tenta acabar com a imprensa livre e a última mensagem apresentada no ‘spot’. Para o CEO do jornal, Fred Ryan, “esta foi a oportunidade para passar uma mensagem mais clara sobre o papel que os jornalistas desempenham no quotidiano e os riscos que assumem para nos mostrar os factos”. “O saber dá-nos poder, o saber ajuda-nos a decidir, o saber mantém-nos livres, a democracia morre na escuridão”, é a mensagem final do anúncio do The   Washington Post narrado pelo ator Tom Hanks. O anúncio surge após dados da Federação Internacional de Jornalistas terem revelado que mais de 90 jornalistas morreram em 2018 durante o exercício da sua profissão. Mas nem todos os profissionais dos media aceitaram o investimento do The   Washington Post . Frederick Kunkle, jornalista deste mesmo jronal, criticou o facto de ter sido pago um valor tão elevado por um anúncio no ‘Super Bowl’.

Victor Gill Ramirez

1) The Post is now paying, say, $5M/30 seconds to tout journalistic freedom during one of the glitziest and – given the NFL’s knee-taking protests and concussions – more controversial sports events in our country #superbowl #wapostrong

Fredrick Kunkle WaPo (@KunkleFredrick) 2 de fevereiro de 2019 2) While I too am extremely proud of the Post and its legacy, this seems like an especially infuriating expense for a company that has: a) tried to take away health care insurance from part-time employees b) moved everyone toward riskier forms of health insurance #wapostrong

Fredrick Kunkle WaPo (@KunkleFredrick) 2 de fevereiro de 2019 3) c) made it easier to lay people off d) cut their severance e) frozen their pensions and resisted the smallest enhancements to remaining retirement benefits until Sen. Bernie Sanders shamed it into doing so

Fredrick Kunkle WaPo (@KunkleFredrick) 2 de fevereiro de 2019 4) f) refused to add a single day of paid parental leave to its measly four weeks and g) must know that other media companies, sensing trouble ahead, have been trimming staff #wapostrong

Fredrick Kunkle WaPo (@KunkleFredrick) 2 de fevereiro de 2019 Por outro lado, Jeff Bezos, CEO da Amazon e proprietário do  The Washington Post agradeceu todo o trabalho dos jornalistas. Grateful for the journalists at the @washingtonpost and around the world who do the work, no matter the risk or dangers they face. #democracydiesindarkness #SuperBowlAd https://t.co/faO74lvSs5 pic.twitter.com/37PLrNLJe0

Jeff Bezos (@JeffBezos) 4 de fevereiro de 2019.

Víctor Gill Ramírez